O músico: na igreja e como profissional

 O artista em geral e no caso, o músico, tem uma realidade muito  complexa, tanto dentro ou fora da igreja. Infelizmente durante muitos anos foram incompreendidos e marginalizados em sua atuação. Esta realidade foi um pouco atenuada fora do país, por causa de uma mentalidade mais aberta e por se valorizar a arte como base de uma educação de um povo. Nem todo músico é boêmio (idéia arraigada, infelizmente) e tem uma possibilidade enorme de adorar a Deus através de sua vida profissional.

As barreiras são muitas para que trilhe este caminho: barreira familiar, quando os pais se assustam com a opção de seus filhos se tornarem profissionais, já que em nossa cultura isto não é valorizado; barreira educacional, já que o ensino de música não é obrigatório nas escolas municipais e estaduais, levando o aspirante a músico a brigar por algumas vagas oferecidas por escolas do governo ou migrará para o ensino particular ou em escolas superiores particulares, e a própria barreira profissional, com poucas oportunidades oferecidas em seu mercado de trabalho..

Quando fui estudar contrabaixo na Escola Municipal de Música em São Paulo, em 1971, ouvi do meu professor que deveria optar por outro instrumento, pois as orquestras municipal e estadual, inclusive a jovem, já tinham instrumentistas suficientes nestes instrumentos para os próximos 20 anos. Isto é, se optasse pelo instrumento, teria poucas chances de trabalhar profissionalmente aqui, a não ser dando aulas ou formando um grupo de jazz.

Em nosso mundo evangélico brasileiro ainda se questiona se o músico ou artista pode exercer seu dom e capacidade de forma profissional e não só de forma amadora. Há muita ignorância teológica sobre o uso das artes, parecendo inclusive que esta dimensão está excluída de uma vida cristã saudável.

Parece que o músico, ou o artista em geral, vive num planeta à parte, muito mais sujeito às tentações e lutas do que os outros profissionais. Para quem trabalha pastoralmente como eu e está envolvido com aconselhamento, sabe que isto não é verdade, pois estamos sujeitos a toda a sorte de provações e tentações em qualquer área e ambiente em que se vive.

A idéia em nosso meio é a seguinte: o músico ou artista que se converte precisa “abandonar” o mundo e a “velha” vida, diferenciando-o de outros profissionais (médico, dentista, professor, bancário, etc.) que passam pela mesma experiência de conversão, como se estas profissões fossem “santas” e a dele não. O fazer tudo para a glória de Deus (1 Cor. 10.31) continua valendo para todos, e todos os profissionais cristãos terão áreas de tensão e que terão que se posicionar por causa do cristianismo, considerando a ética e a moral cristã, além dos valores do reino de dignidade e justiça.

Graças a Deus temos a experiência de Lutero e dos irmãos Wesley, por exemplo, que além de teólogos, eram músicos. Deus é o Supremo Artista, e Sua capacidade de criação se vê em todo o universo. Precisamos resgatar em nossa teologia, a teologia das artes.

Tenho ouvido este resgate nos últimos tempos através de ministrações do Gerson Ortega (SP), Carlinhos Veiga de Brasília e Sidney Costa, coordenador do Louvale em São Jose dos Campos, além dos irmãos da Associação de Músicos Cristãos (AMC) e que tem ajudado os artistas da igreja em seus posicionamentos e decisões.

O músico cristão recebeu dons e talentos para criar, para executar, para exercitar com excelência e integridade na adoração e no testemunho diário. Não somente na igreja, mas dando testemunho de Jesus em seu meio ambiente, sendo sal e luz do mundo. O músico precisa ser responsável em seu ambiente de trabalho. O músico está envolvido na missão que recebemos como crentes, além de poder usar a música para seu sustento digno. Consideremos alguns aspectos

O músico necessita de apoio espiritual

É importante um trabalho de discipulado para que seja transformado em seu caráter como pessoa e para que tenha sabedoria no uso de seus talentos. Apoio de oração para que seja luz em seu ambiente de trabalho e para que persevere em meio à lutas de sua realidade e irmãos e autoridades que o avaliem e aconselhem.

O músico precisa de espaço e oportunidade

Não devemos olhar o músico ou artista com preconceito mas sim, viabilizar oportunidades para que ele possa servir a Deus na igreja com alegria, humildade, excelência e integridade. Não somente na igreja, mas fora do ambiente dela para que mostre que é possível um artista servir a Deus exercendo sua profissão com a dignidade que ela tem.  Mais de 70%  dos artistas das grandes orquestras e coros dos grandes centros e também os populares, saíram de igrejas evangélicas. Não podemos nos conformar com esta perda.

O músico precisa de preparo

É fundamental o músico se  preparar para dar o seu melhor ao Senhor e executar sua música com excelência. Dedicar o melhor e não o pior ao Senhor, sempre com um coração singelo e integro. A igreja sempre que possível deve ajudar para que os que se dedicam sejam abençoados e cresçam em seu serviço e ministério.

O músico precisa de sustento

Obviamente nem todos poderão ser sustentados pela igreja, mas precisamos ser sensíveis e ajudar àqueles que estão se dedicando para este trabalho e ministério continuamente na igreja local. É sabido que as oportunidades dos músicos de exercitarem as suas profissões e, ainda mais, ganhando para isso, são muito escassas em nosso país. A maioria dos músicos consegue sustento dando aulas, gravando, e tocando em festas, casamentos, orquestras e coros, e poucos, com artistas expostos na mídia.

O crescimento de oportunidades no ambiente evangélico aumentou e muito, para a atuação profissional e ministerial, e a música cristã ou gospel representa  hoje 30% da produção fonográfica nacional, além de programações independentes para a rádio e TV aberta ou paga.

Junto com isto é preciso que se mude a mentalidade, para favorecer a atuação dos artistas cristãos. Vamos dar mais um passo para beneficiar esta geração e a próxima, e que os músicos e artistas tenham sempre discernimento e maturidade para viver de maneira digna do evangelho que abraçaram.


Imprimir este artigo Imprimir este artigo

17 Comentário(s)

  1. Ola, Pr. Bomilcar,
    paz seja contigo!!

    Olha, gostaria de aproveitar o artigo para expor tambem minha ideias a respeito. Eu tambem sou musico e sofro diariamente com esse tipo de discriminação e por conta disto, hoje tenho dificuldades em congregar em qulaquer igreja aki onde moro. Enfim…
    Concordo com o Sr. e me sinto completamente em paz (embora perseguido) em ouvir, cantar e tocar muiscas de cunho não-cristão. Mas às vezes bate algumas duvidas quando alguns amigos me questionam a respeito das artes. Por exemplo, a dança tambem é arte. E é hoje, muito usada nas igrejas. Tendo em vista que o musico pode usar da musica como profissão, a dançarina tambem poderia, não? Hoje muitas dançarinas(a exemplo da Carla Peres)professam que são Cristãs e continuam dançando musicas que verdadeiramente contestam a idoneidade de sua fé. Assim como tambem alguns musicos cantores como o Xande(Marido da Carla) continuam embalando os pagodes da vida que cantando e dançando musicas que incentivam a prostituição, e a promiscuidade…
    Bem, minha pergunta é: Até que ponto um musico como eu que ama a musica e as artes de modo geral, pode e deve se envolver no ‘mundo das artes’ sem comprometer seu testemunho e ter paz ao mesmo tempo em seu coração, por estar dignamente ganhando o seu pão fazendo algo que gosta sem ferir a imagem de servo de Deus?
    Quero aproveitar tambem o ensejo e parabenizá-lo pelo site, está maravilhoso!

    Muitissimo grato,

    Ciro Leal

    Ciro | 1 de fevereiro de 2008 | Comentar

  2. Olá,cara seu texto é incrivel … suas opiniões sobre a visão dos musicos no mundo cristão tb … ñ sou evangélico mais tenho parentes q são e meu irmão é, e tb musico sofre esse tipo de descriminação tb … mais enfim …

    Parabéns pelo texto !!!

    Abraço!

    Angelo Santos | 16 de janeiro de 2009 | Comentar

  3. Somos uma pequena Igreja localizada na Z.norte de São Paulo. Temos carência de músicos que tenham seu instrumentos, que queiram nos ajudar na obra para o Senhor. Se vc quiser fazer parte entre em contato, meu telefone 11 8501 5762. Email:sergio.generoso@ig.com.br.
    Fiquem na paz

    SERGIO GENEROSO | 1 de março de 2009 | Comentar

  4. olá pastor,td bem? Sou músico e evangélico da assembléia de Deus em Uberlândia MG, faço parte de um grupo evangélico, já temos cd gravado, viajamos muito pelas redondezas do Triangulo Mineiro louvando a Deus em igrejas evangélicas. A dois anos atrás quando entrei no grupo, o lider disse que nunca iria cobrar dinheiro das igrejas pra fazer a obra de Deus. Aminha dúvida é a seguinte pastor.: Nós somos 8 músicos, a maior parte trabalha por conta (trabalho informal) e nem sempre da pra tirar grana de pagar as contas em casa,, e mesmo assim o nosso lider quer q vistamos a camisa do grupo sem almenos recebermos uma ajuda para por gasolina na moto quando ir para o ensaio ou comprar um cabo de som para um instrumento nosso. Todos temos que c virar. É complicado fazer a obra de Deus nessas condições mas o lider disse que não cobraria à nenhuma igreja pra louvar a Deus nas mesmas, ele somente cobra o transporte pra buscar agente na nossa cidade, lugar para dormir e alimento. A dúvida é: será que seria errado pedir pelo menos uma ajuda para a igreja que nos convida? afinal nem sempre conseguimos tirar dinheiro do nosso trabalho informal para comprarmos um cabo de som para um instrumento ou algo que precisamos para o instrumento q cada um toca. Nenhum de nós quer largar o grupo pois foi algo que Deus colocou em nossas mãos pra fazer e foi ele mesmo que confirmou este trabalho em nossas vidas. Deus já fez muitas promessas a nós e sempre quando agente vai louvar a Deus em alguma igreja, ele nos lembra das promeças usando algum irmão ou irmã pra falar a nós,,e por isso estamos firmes até hj. O grupo já tem 15 anos. C o pastor poder me ajudar em um esclarecimento sobre este asunto?,,,obrigado pastor,,,fica na paz do senhor Jesus.

    Carlos | 6 de maio de 2009 | Comentar

  5. Caro pastor, tenho 27 anos e sou músico amador desde os 12, quando comecei a tocar na igreja e na banda municipal de minha cidade. Nasci em berço evangélico e nunca me desviei, porém tenho visto muitos talentos da música na igreja saírem para tocar no mundo e automaticamente se desligam da igreja. Creio que o fato de eles tocarem e estarem envolvidos com músicas que falam e tratam de traição e luxúria, além de amientes onde a bebida e as drogas rolam soltas
    geram uma situação em que expõe todos estes manjares. O que o senhor pensa a respeito?

    Arthur | 30 de maio de 2009 | Comentar

  6. Infelizmente meu pastor não percebeu que sou uma pessoa dedicada e ministro aulas de música para adolescentes na igreja. Ele prefere ficar me chamando atenção e me desvalorizando por ter saído do ministério de louvor, e com relação ao texto, sou músico a 13 anos na igreja e isso não mudou. Parabéns pelo artigo!!!

    Davi Alves | 7 de novembro de 2009 | Comentar

  7. Pastor, a paz seja contigo!
    Gostaria q me esclarecesse algumas dúvidas quanto a ministrar na igreja e tmbm atuar profissionalmente fora da igreja!
    Sou nascido em berço evangélico, e músico e cantor na igreja desde os 14 anos, estou hoje com 36 anos. Há mais ou menos uns 6 anos, deixei de ministrar na igreja por alguns problemas de conflito. deixei a igreja na qual fui criado e fui para outro ministério, isto há exatos 10 anos, a mais ou menos 2 anos retornei ao ministério no qual nasci(IEQ), tenho um desejo ardente de retomar o meu ministério, isto ainda não foi possível, sempre dediquei os meus dons dentro da igreja, só tenho ouvidos para música cristã, pra falar a verdade nem gosto de ouvir músicas que não exaltem o nome do Senhor Jesus Cristo, recebo algumas críticas de minha esposa por isso, mas a alguns dias recebi um convite de um amigo para atuar cantando e tocando em festas de casamento e etc, isto me chama a atenção prq sei que é uma boa renda que posso estar recebendo para complementar meu salário, mas não tenho o menor desejo de fazê- lo, prq o meu desejo, e que flui no meu coração, é louvar somente a Deus, mesmo que ainda não me foi dado oportunidade na igreja,é um desejo enorme em meu coração louvar a Deus, mas somente a Deus.
    Fico pensando e gostaria que me ajudasse nessa questão: se eu começar a cantar fora da igreja (alguns músicos da igreja atuam fora), será que poderia estar atrapalhando essa minha retomada dentro da igreja? E o que fazer, qual o melhor caminho a seguir visto que não tenho a menor vontade de cantar e tocar fora da igreja?
    Por favor Pastor, se não puder opinar me ajude em oração para que no nome do Senhor Jesus, eu tome o melhor caminho! Deus lhe abençoe no nome o Senhor Jesus Cristo!
    Parabens pelo artigo, muito bom!

    Elizeu Feraresi | 14 de novembro de 2009 | Comentar

  8. Desculpe, pois o pastor é FREDERIC ORR e pastoreia a igreja evangélica hebrom em Manaus

    pedro cavalcante | 8 de março de 2010 | Comentar

  9. Pr. a paz de cristo.
    Eu sou musico e me congrego em uma igreja em São luis do maranhão a l6 anos onde coordeno varias equipes de louvor e faço parte de um grupo desta equipe. vejo que temos muitos irmãos musicos ministros da casa do Senhor sofrendo discriminações e nessecidades por não poderem usar a arte em seu beneficio e sustento da sua casa, entendo perfeitamente que a nossa profissão é um instrumento que Deus nos deu para garantir o sustendo da nossa familia como qualquer outra o que a fáz diferente aos olhos da “igreja” é a fragilidade humana de se envolver contaminando-se com o meio, digo aos irmãos musico como eu que se fosse nescessário trabalhar profissionalmente lá fora eu faria sem nem um problema pois, eu conheço o Deus que eu sirvo e eu temo e tremo diante Dele iria preparado para não me contaminar com as iguarias do rei trabalhando garantindo assim o sustento e conforto da minha familia, até hoje nunca foi preciso porque sou remunerado pela minha igreja infelizmente não como musico (ministro) mas, como Pr. de rede.
    Eu louvo a Deus por Ele está levantando homens como o senhor para tocar neste assunto delicado na visão de muitos. (O nosso coração fala diretamente a Deus o que somos de fato e não o nosso ativismo. Adoração é muito mais que canções; é a conciencia de um Deus presente aonde eu estiver e em o que eu fiser.
    Um grande abraço.
    Que o Senhor te abençoe e te proteja.
    JOAQUIM SILVA – 26/05/2010

    joaquim de ribamar leite da silva | 26 de maio de 2010 | Comentar

  10. OLA BOA TARDE, MEU NOME É LUCAS, SOU TECLADISTA DA IEQ, TEMOS UM MINISTERIO A QUAL TEMOS O TRABALHO DE IR NOS LUGARES MINISTRAR, SAIMOS POR MUITAS VEZES DO ESTADO D SAO PAULO, SINTO MUITA TRISTEZA E FRUSTAÇÃO POIS EU ME DEDIQUEI, INVESTI EM EQUIPAMENTOS, E PRA IGREJA TEMOS Q FAZER D GRAÇA, EU NAO CONCORDO COM ISSO, POIS EM (1 Timoteo 5:18) DIZ Q DIGNO É O OBREIRO DE SEU SALARIO.
    PQ PASTOR PODE GANHAR E O MUSICO CRISTAO Q TBM SE DEDICA PARA FAZER O MELHOR NAO PODE?
    PASTORES RECEBEM MUITO BEM INCLUSIVE, NAO SOU CONTRA OS PASTORES RECEBEREM, POIS ELES TBM SAO DIGNOS DE SEUS SALARIOS DENTRO DAS IGREJAS.
    NAO SOU A FAVOR DO MUSICO TER UMA VIDA PROFISSIONAL SECULAR, POIS DEUS NOS SEPAROU COMO LEVITAS, EM (Deuteronômio 18:1-2) É BEM CLARO SOBRE ESSE ASSUNTO, POREM AS IGREJAS PULAM ESSA PARTE, TODOS OS MUSICOS Q TEM O CORAÇAO NA OBRA D DEUS, DEVEM SER AMPARADOS PELA IGREJA.
    A PALAVRA D DEUS É BEM CLARA SOBRE O TRABALHO, EM (Jeremias 22:13) (Ai daquele que edifica a sua casa com injustiça, e os seus aposentos sem direito, que se serve do serviço do seu próximo sem remunerá-lo, e não lhe dá o salário do seu trabalho.)
    PODE SE DIZER Q ESSA PALAVRA DA MUITO CERTO PARA A MAIORIA DOS PASTORES, POIS DA IGREJA ELES OBTEEM LUCRO, PQ DALI Q SAI SEU SALARIO.
    ESSA REALIDADE TEM Q SER MUDADA, O MUSICO CRISTAO TEM O SEU DEVIDO VALOR NA CASA D DEUS, NAO QUEREMOS NOS ENRRIQUECER, MAS QUEREMOS VIVER DAQUILO Q TANTO NOS DA PRAZER, DE TOCAR NOSSOS INSTRUMENTOS, OU CANTARMOS, LOUVORES A DEUS!!!!
    ADOREI ESSE ARTIGO!!!

    LUCAS MARTINS | 14 de junho de 2010 | Comentar

  11. Olá, meu nome é Ana Carolina, e quero saber se posso cobrar pra tocar numa igreja e quanto, mas não é a minha.Comecei a estudar musica entre os 15 ou 16 anos,agora estou com 28 mas nesse meio de tempo parei de tocar e cantar, canto mas não é sempre pois não tenho muita oportunidade na minha igreja, li os artigos e me identifiquei com alugns, me sinto desanimada, mesmo Deus usando pessoas para falar comigo que Ele ainda vai me usar muito na área de louvor e adoração, o que faço pastor me ajude e ore por mim. Fica na paz de Jesus, que Deus possa abençoa – lo cada vez mais. Beijos Carol

    Ana Carolina | 1 de julho de 2010 | Comentar

  12. Bom dia Pastor. Quando se fala em Pastores que saem a viajar essa imensidão de mundo dizem que é chamado de Deus em missões. Grupo de teatro também saem em dia de cultos. Mas quando precisamos não somos liberados e como experiência própria já fui até afastado por um mês. Mas acredito que em meio essa tão grande desvalorizacão dentro da igreja Deus tem aberto várias portas de eu tocar até mesmo com americanos. Até onde vai hoje em dia a sensibilidade de uma igreja a reconhecer que um músico adorador tem um chamado de missões. Tenho várias promessas de muitas viagens e já estão se cumprindo. Deus faz promessas dentro de sua própria congregação mas ninguém acredita. mas eu sim pois sirvo a um Deus fiel e sei que Ele age por mim. Um abraço a todos…

    herme garcia | 20 de agosto de 2010 | Comentar

  13. pastor sou músico e evangêlico e tenho dúvidas a respeito de tocar como profissão, á algum pecado nisso e se ouver me responda onde, por favor iria ficar muito grato pela sua reposta.
    E seu texto uma maravilha muito bacana. Fique na paz de Jesus.

    barbosa | 7 de setembro de 2010 | Comentar

  14. trabalho com músicos na igreja,e descobri.;..
    nenhum músico é crente,infelizmente.

    Daniel | 28 de setembro de 2010 | Comentar

  15. Oi pastor a Paz do Senhor Jesus.

    Nasci no berço evangélico e sou músico amador desde os 12 anos de idade hoje eu tenho 36 adoro música adoro tocar bateria e cantar quando estudei música surgiram diversos convites para tocar para grupos fora da igreja, mas não toquei para nenhum, mas realmente fiquei tentado pois estaria vivendo daquilo que realmente gosto de fazer. Acabei estudando administração e trabalhando na área de RH até os dias de hoje, fiquei um bom tempo fora do ministério de louvor da igreja e estou retornando agora por sentir essa necessidade, mas realmente eu fico triste pois se a igreja investisse mais em seus músicos teríamos um celeiro repleto de adoredores talentosos e não pessoas dispreparadas e sem chamado tocando e cantando por obrigação ou por falta de músicos nas igrejas.

    Waldeci Mateus Pereira | 4 de novembro de 2010 | Comentar

  16. Pastor.. Fiquei impactado com seu comentário! sou filho de pastor e musico desde criança.. tenho muita historia pra contar. boas e péssimas.. nao quero falar aqui.. mas quero dizer que recebi uma grande bençao.. Retwittei esse link para meus seguidores.. sao mais de 200 – http://twitter.com/fabiolibre e espero que o senhor posso falar mais e levantar essa bandeira.. toco na noite e vejo dezenas de ex levitas.. magoados, tristes.. arruinados pelos proprios lideres de igrejas e por muitos cristãos, que impoem suas verdades dogmaticas, massacrando e desmotivando esta classe que é tao importante na casa de Deus.. muito obrigado

    fabio libre | 11 de fevereiro de 2011 | Comentar

  17. Ola, Pr. Bomilcar, meu nome é Laís.. Bom eu toco teclado a algum tempo na minha igreja, e canto também, sou do grupo de Louvor. Mas o que me deixa muito triste é que quando á um musico de fora, o Pastor da igreja me tira do teclado e põe outro em meu lugar, por vezes ele ja fez isso.. Hoje mesmo fui ao culto cheguei na hora. O teclado não estava no lugar e haviam mexido em tudo, em todos os instrumentos. Eu perguntei ao Pastor aonde eu colocaria o teclado, e ele disse que eu nao precisava tocar hoje, que o grupo que veio de Campinas iria ministrar o Louvor. fiquei arrasada eu e o pessoal da minha banda. Me deu muita vontade de ir embora. Enfim eles tocaram 5 músicas, fizeram como um Show o culto e ainda ficaram se apresentando, como se o povo da igreja fosse uma platéia. Fui embora chorando..
    Olha o Pastor pode fazer isso? Por que eu sinceramente não tenho mais vontade de ir a igreja, porque por varias vezes ele fez isso comigo, eu to muito triste mesmo, é como se eu fosse somente um tapa buraco. Toda vez que vem alguma banda melhor que a nossa, eles nos tira e coloca a banda melhor para tocar.
    Espero que o Sr. me ajude.. Me de um auxilio sabe.. Eu estou arrasada..

    Laís | 2 de abril de 2012 | Comentar

Seu Comentário



  • VeroShop - Arte e música cristã de qualidade!

    Rádio Transmundial

    W4 Editora

    Instituto Ser Adorador

    Vencedores Por Cristo